Artigos

Presb. Osmar de Lima Carneiro

Presb. Osmar de Lima Carneiro:
Antes da Cruz, dormiram!

Antes da Cruz, dormiam!

 

Chegaram ao Jardim das Oliveiras, provavelmente envolvidos nas trevas densas da noite, caminhando cautelosamente, sem rumor, pisando os trilhos cobertos de folhas mortas, umedecidas pelo orvalho noturno. Falavam pouco, quase que ciciando, como se colassem os ouvidos no peito negro da noite.  À medida que caminhavam para o recesso do horto, maior era o silêncio do grupo: Jesus, Pedro, Tiago e João. Chegaram à parte mais profunda e quieta do bosque e detiveram-se.

Estão ali num lugar que o estalido de um galho, o suspiro de uma folha sacudida pelo vento, o ciciar de um inseto na escuridão da noite parecem revelar a presença de espiões, de inimigos. Quem já viveu esses momentos cruéis: os escravos fugidos, os criminosos acoitados, os que, inocentes ou não, por este ou por aquele motivo, já se viram na dura contingência do refúgio – esses podem avaliar o que deveriam ter sido àquelas horas esgotantes, de peso opressivo, esmagador, naquele horto.

Talvez pensem os discípulos, os inimigos estão longe, nem suspeitem a direção que tomamos. Entretanto, Jesus sabe que os adversários se agitam, farejam, confabulam, conspiram e tramam contra Ele, mesmo assim está entregue à sua natureza humana, e sabe que Jerusalém, durante essa noite, vela com os olhos muito abertos e o grande crime está em marcha e até o Sinédrio está em vigília, como iluminados estão os palácios de Anás e de Caifás e envolto nas trevas do pecado estão todos os corações – o homem está longe de Deus.

Aos três, Pedro, Tiago e João, Jesus ordena: fiquem aqui, pois irei orar um pouco mais adiante.

Prostrado, na escuridão do jardim, Jesus exclama:

- Pai, se queres, passa de mim este cálice, todavia não se faça a minha vontade, mas a tua.

No decorrer da oração, um anjo do céu (é o que nos informa Lucas), apareceu-lhe trazendo conforto. Orou por mais algum tempo, com agonia e, levantando-se da oração voltou aos seus discípulos.

- Pedro! João! Tiago!

O Mestre voltou e chamou os amigos, que os encontrou dormindo, num sono pesado, nos momentos que antecediam o sacrifício no calvário.

Não tarda, e por entre as árvores, aparecem os inimigos com lanternas e fachos, tomando todas as aléias do horto. Jesus é traído e preso.

Os discípulos dormiram antes da cruz. E Jesus, traído, mas desperto, recebe uma condenação injusta e sobe à cruz e se dá incondicionalmente para salvar o homem.

Da cruz, ouvimos Jesus: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”. Hoje, quando o suplício da cruz passou, não fiquemos dormindo, mas despertos proclamemos ao mundo que “Só Jesus Cristo salva!”

[listar artigos desse colunista]

IGREJA CONGREGACIONAL NO BESSA

Rua Cândida Nóbrega Ferreira, S.N. - Bessa - João Pessoa/PB
Fone: (83) 3021-2172