Artigos

Presb. Evandro de Lima Araújo

Presb. Evandro de Lima Araújo:
Pai, esperança de ser sempre feliz

“Jesus exclamou em voz alta: quem crê em mim não crê em mim mas naquele que me enviou. Quem me vê, vê aquele que me enviou”- João 12:44-45.

A união entre o Pai e o Filho é tão profunda que quem vê um encontra o outro. É Jesus mesmo quem o diz: “quem me viu, viu o Pai”- Jô 14:9. Do Pai nada vemos diretamente, pois Ele habita numa luz numa luz inacessível. Por definição o Pai é o mistério abissal. Tudo se origina d’Ele, mas Ele mesmo é sem origem. Por isso o Pai é em si impensável e absolutamente impenetrável. Caso contrário o mistério de Deus-Pai não seria mistério radical.

Entretanto, tudo o que o Pai tem passa ao Filho. O Filho torna revelado o que estava eternamente oculto. O Filho é Palavra que tudo decifra. Ora, esse Filho assumiu a nossa humanidade. Ele é um dos nossos. O que nossos olhos viram, o que nossas mão apalparam, o que nossos ouvidos ouviram e o que nosso entendimento captou, é a realidade amorosa do filho. E o Filho está tão unido ao Pai e o Pai está tão presente no Filho que ao contemplar o Filho discernimos o próprio Pai.

Hoje comemora-se o Dia dos Pais. Para uns somente uma festa comercial, para outros um dia como outro qualquer – sem pai, sem amor e sem perspectiva, para outros uma data singular – com amor e com exemplo e para outros, somente saudades.

O pai transparece a todos com sua preocupação com os filhos mesmo quando estes atingem idades avançadas. Como exemplo temos um homem íntegro que aos 80 anos estava no leito de morte e com grande preocupação chamou sua irmã e disse: “Minha irmã quero que me prometa uma coisa, cuide de meu querido menino, ele precisa de muitos cuidados”. Seu menino era um senhor de 60 anos, alcoólatra e ex-presidiário e totalmente excluído da sociedade.

Ser pai é acompanhar o dia-a-dia dos filhos na vida cristã, na escola, no estudo, na alegria, na dor; é ensinar a proteção contra as astutas ciladas do diabo, contra as hostes espirituais do mal, contra a investida dos traficantes não somente de drogas mas da moral e da corrupção.

Ser pai não é somente se preocupar com um bom padrão de vida espiritual, com boas notas na escola, com perspectiva de um bom e duradouro casamento mas ser pai é se alegrar com uma simples apresentação de seu filho cantando um corinho, de vê-los tocando algum instrumento, de vê-los conseguindo uma vitória em alguma competição.

Se o pai se alegra com tão pouco porque os filhos não se esforçam para que todos os dias sejam “Dia dos Pais”, para que o dia-a-dia seja de alegrias, de lutas e de vitórias conjuntas.

Vamos deixar que o diálogo e a compreensão sejam as constantes da vida.

[listar artigos desse colunista]

IGREJA CONGREGACIONAL NO BESSA

Rua Cândida Nóbrega Ferreira, S.N. - Bessa - João Pessoa/PB
Fone: (83) 3021-2172