Artigos

Presb. José de Arimatéa Menezes Lucena

Presb. José de Arimatéa Menezes Lucena:
NOVA CRIATURA

A pessoa que aceita ao Senhor Jesus como Salvador de sua vida muda radicalmente de comportamento; porque rompe com o seu passado e passa a andar de acordo com o Evangelho de Cristo. Por isso, Paulo dizer: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (II Co 5. 17). Paulo ainda diz: “Somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” (Ef 2. 10). Quem recebe Cristo como Salvador sofre uma intervenção divina em sua vida, por meio do Espírito Santo, razão pela qual renuncia as coisas más do mundo, se liga nas coisas celestiais e tem uma vida de submissão a Deus. É o novo nascimento. Nascer de novo é condição indispensável para ser uma nova criatura. Por esse motivo, foi que o Senhor disse a Nicodemos: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3. 3). O Evangelho transforma o caráter da pessoa de forma surpreendente. O apóstolo Pedro, que era um pecador profano (Mt 26. 74), tornou-se um homem de vida tão consagrada, que Deus fazia maravilhas por suas mãos, que até a sua sombra curava as pessoas (At 5. 15). O apóstolo João, uma pessoa vingativa, queria que descesse fogo do céu para destruir os samaritanos, por não terem recebido a Jesus (Lc 9. 54), tornou-se no apóstolo do amor (I João 4. 7). A Bíblia cita inúmeros exemplos de transformação de vida pelo poder do Evangelho, como sejam: Maria Madalena, a samaritana, cegos, aleijados, religiosos etc. Ao longo dos últimos dois mil anos, milhões de pessoas tiveram mudança radical de vida, após aceitarem a Jesus como Salvador. Se visitarmos algum presídio, vamos nos deparar com muitos ex-bandidos, que antes de conhecerem a Cristo, eram pessoas de alta periculosidade, mas que foram transformadas pelo poder do Evangelho, e se tornaram novas criaturas. Mesmo na prisão, têm comportamentos pacíficos, ordeiros e amorosos, diferentes daqueles quando não conheciam a Jesus. Agora dão testemunho a outros presidiários e familiares de como Cristo modificou as suas vidas. Portanto, é inadmissível que a nova criatura permaneça na velha vida. Quem tem um encontro com Cristo não volta mais a andar pelo velho caminho de antes. A nova criatura foi chamada para ser testemunha de Cristo (At 1. 8) e anunciar o Seu Evangelho (Mc 16. 15). E para não escandalizar as pessoas não salvas, Deus determina que ela seja santa (Lv 11. 44, 1 Pe 1. 15, 16; 2. 9).

A nova criatura precisa ter em mente que, quando anuncia o evangelho a um conhecido, ele a avalia pelo seu testemunho. Se pregar uma coisa e fizer outra o ouvinte rejeitará a Jesus, porque não existe coerência e, portanto, o pregador não tem autoridade para anunciar o evangelho. É necessário, para o pregador ser uma bênção na vida das pessoas, que a sua vida demonstre mudanças que reflitam o Evangelho de Cristo.

[listar artigos desse colunista]

IGREJA CONGREGACIONAL NO BESSA

Rua Cândida Nóbrega Ferreira, S.N. - Bessa - João Pessoa/PB
Fone: (83) 3021-2172