Artigos

Presb. José de Arimatéa Menezes Lucena

Presb. José de Arimatéa Menezes Lucena:
LIVRES PARA SER DIFERENTES

O homem ao pecar se tornou escravo do pecado. Essa servidão é originada por uma lei que o rege interiormente. O apóstolo Paulo nos esclarece sobre o funcionamento dessa lei, ao dizer: “Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está em mim... Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” (Rm 7. 21-24). A pessoa por si só não tem como se libertar dessa escravidão. Por essa razão, Deus enviou o Seu Filho, Jesus Cristo, para libertar o homem escravizado pelo pecado. O escritor aos Hebreus alega que Jesus, com a Sua morte livrou todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos a servidão (Hb 2.14-15). Sobre esse assunto, o Senhor Jesus diz que todo aquele que comete pecado é servo do pecado (João 8.34). O apóstolo João mostra a condição de pecador do ser humano e adverte que, quem disser que não é pecador está dizendo que Deus é mentiroso. Vejamos a passagem: “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós... Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós” (1 Jo 1.8, 10). E o apóstolo Paulo afirma que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23).

Somente o Filho de Deus, Jesus, tem poder para libertar o homem da escravidão do pecado, por isso ter dito: “Se, pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres (Jo 8.36). Se pudéssemos enxergar com os olhos espirituais, veríamos que o mundo é uma grande senzala, contendo a humanidade escravizada em seu interior. Contudo, Jesus concede “Carta de Alforria” a todo aquele que O reconhece como Salvador de sua vida. Quando alguém toma essa decisão passa a fazer parte da família de Deus (Jo 1.12 e Rm 8.15).

Uma vez libertos por Cristo, precisamos andar de conformidade com o Seu evangelho (em amor, justiça, retidão, verdade etc). Agindo assim fazemos a diferença e, dessa forma, o Senhor Jesus é glorificado em nossa vida. Necessitamos exalar o bom perfume de Cristo, para que o mundo veja que somos novas criaturas, e mostrar que nossas práticas anteriores já passaram, eis que tudo se fez novo, porque vivemos uma nova vida na fé em Cristo, pois Ele nos tirou das trevas do pecado para a Sua maravilhosa luz. Esse feito de Cristo nos permitiu ter comunhão com Deus e acesso a Sua presença, porque antes o pecado nos separava de Deus. Mas, agora, somos livres para anunciar as Boas novas de Salvação. Ninguém que foi liberto por Cristo deve agir como se ainda estivesse sob o jugo do pecado, contrariando os princípios do Seu evangelho. Porque uma vez libertos do pecado, nunca mais escravos do mesmo, pois somos livres para ser diferentes.

[listar artigos desse colunista]

IGREJA CONGREGACIONAL NO BESSA

Rua Cândida Nóbrega Ferreira, S.N. - Bessa - João Pessoa/PB
Fone: (83) 3021-2172