Artigos

Presb. José de Arimatéa Menezes Lucena

Presb. José de Arimatéa Menezes Lucena:
FOME DE DEUS

Estamos vivendo dias difíceis, como advertiu o apóstolo Paulo. A sobrevivência do ser humano está ameaçada pelo perigo do desemprego, da fome, da miséria, da ameaças de guerra nuclear etc. Populações inteiras estão desnutridas. Muitas crianças e adultos morrem de fome. A ganância do homem e a falta de amor ao próximo têm levado a essa situação, em que seres humanos vivem em extrema miséria, até a morte. A fome campeia e atinge tanto a população humana como a de animais.

      O planeta terra, considerando a drenagem de pântanos e técnicas de cultivo em solos estéreis, tem capacidade de produzir alimentos para 22 bilhões de pessoas. E hoje, temos ainda 6,5 bilhões de pessoas sobre a face da terra. O homem está preocupado em ampliar suas conquistas terrestres e espaciais, a fim de ter o poder absoluto. Esse tipo de investimento é oneroso e tem faltado dinheiro para os programas sociais, no combate à fome e à miséria. O Senhor Jesus, sendo onisciente, disse que os pobres sempre iríamos ter (Mt. 26. 11). Ele disse isso porque bem conhecia a falta de amor e de solidariedade no coração humano para com os humildes. Uma das evidencias da segunda vinda de Cristo é a fome generalizada (Mt. 24. 7b). E é isto que estamos vendo: a fome ceifando vidas da Paraíba aos confins da terra. Apesar da fome de alimentos sólidos, que enxergamos com os nossos olhos físicos, existe outro tipo de fome, que é muito pior, que é a fome espiritual. É a fome de Deus. O mundo está carente do Pão da Vida: Jesus Cristo. Quantos bilhões de pessoas que não comem desse Pão? O Pão que veio de céu, para saciar a fome do homem. Mas esse Pão não tem chegado à mesa dessas pessoas, porque muitos distribuidores desse Pão estão de braços cruzados, ou até mesmo, parece que estão em greve. Se pudéssemos ver com os nossos olhos espirituais esses famintos, veríamos uma população de desnutridos, apenas com o coro e o osso, comendo as bolotas que o mundo oferece com as suas heresias, quando poderiam banquetear-se com as iguarias do Senhor Jesus. O Senhor Jesus, quando em vida aqui na Terra, alimentou quase cinco mil homens, apenas com cinco pães e dois peixes (Jo. 6. 11). Jesus Cristo continua saciando a fome tanto física quanto espiritual do homem, a fim de que não morra, mas tenha vida abundante e eterna. Ele chamou muitas pessoas para distribuir esse Pão. Também determinou que fizessem novos distribuidores, para de que todos fossem fartos com o Pão de Deus.

            Que tipo de alimento espiritual você está comendo? Manjares ou bolotas? Faça como o filho pródigo que deixou a miséria, a comida indigna e voltou ao seio paterno, que o aguardava ansioso para o banquete. Deus está lhe convidado para comer de Suas finas iguarias; não rejeite esse convite. Não se engane com a comida que o mundo oferece. Não troque o manjar de Deus pela sopa de papelão que o mundo lhe oferece. Deus quer saciar a sua fome e lhe dar um lugar de honra no céu, por meio do Senhor Jesus.

[listar artigos desse colunista]

IGREJA CONGREGACIONAL NO BESSA

Rua Cândida Nóbrega Ferreira, S.N. - Bessa - João Pessoa/PB
Fone: (83) 3021-2172