Congregação - Barra de Santana

Historia Eclesiástica

No passado, um trabalho da Missão Evangelizadora do Nordeste, vinculado à Igreja Evangélica de Campina Grande e com a direção de Sidney Leonídio de Sousa. O trabalho não cresceu, a membresia esfriando e procurando outras alternativas religiosas e a Igreja que patrocinava o trabalho desistiu de fazê-lo.

Como o Pb. Sidney já estava trabalhando com a Igreja no Bessa, como obreiro em Riacho de Santo Antônio, em outubro de 2007, solicitou que a nossa Igreja assumisse os encargos com aquele trabalho tão sofrido. A direção do Bessa procurou o Pastor Samuel Dionísio de Veras, para pedir informações e conseqüente autorização da Igreja Evangélica Congregacional de Campina Grande e Missão Evangelizadora do Nordeste, para patrocinar o trabalho. Obteve pouca informação, mas ficou com a responsabilidade pelo trabalho na cidade de Barra de Santana.

Visitamos o local (27/10/2007), onde encontramos um templo bem localizado, entretanto muito deteriorado, carecendo de uma boa reforma. A Igreja aprovou os novos encargos e no dia 09/11/2007, uma Equipe na liderança dos presbíteros José de Arimatéa e Evandro Araújo (mais Antônio Fernandes, João Moura, Amaury Carneiro e Ulisses Aranha) se dirigiu a cidade de Barra de Santana para, em Mutirão, proceder com a reforma da Igreja. O trabalho foi realizado, o templo ficou bem aconchegante e a Igreja no Bessa enviou cadeiras, som e outros pertences para mobililiar a Nova Casa de Oração e agora, com a direção do Bacharel em Teologia, José André, que ficara com os trabalhos de Barra e Riacho de Santo Antônio. Para o deslocamento do obreiro a esses trabalhos, a igreja comprou uma Moto nova. Fizemos. Logo nesse mesmo ano, no dia 22 de dezembro, fizemos uma bonita festa na Igreja, com premiação de brinquedos para 60 crianças, 10 cestas básicas para os membros necessitados, além da boa programação musical pertinente aos festejos natalinos.

O irmão José ficou em Barra até o mês de maio de 2008, quando foi substituído pelo Pb. José Cabral de Oliveira.

O trabalho até então estava marcando passos, sem resultados, mas quando o casal Cabral e Sueli assumiu o trabalho, os ânimos voltaram a dominar os trabalhos ali na congregação e hoje, pela graça de Deus, contamos com um alegre e expressivo grupo de salvos na cidade de Barra de Santana.

 

Historia Política

A ocupação de Barra de Santana era primitivamente ocupada pelos povos indígenas tapuias, do tronco tupi, que deixaram impressos os seus registros no sítio arqueológico da Pedra do Altar, localizado a 14 km da sede, à margem direita do Rio Paraíba.

A ocupação da região iniciou-se no final do século XVII. Segundo fontes orais, a família Alvino doou as terras para os primeiros habitantes do local. Ainda segundo estas fontes, a primeira capela do local foi construída pelo Padre Ibiapina, dedicada a Sant’Ana.

Assim iniciou-se a Vila de Bodocongó, às margens de um rio do mesmo nome. A cidade foi palco da Revolta do Quebra-Quilos.

O distrito foi criado com a denominação de Bodocongó, pela lei municipal nº 2, de 06-051893 e por lei provincial nº 235, de 9 de outubro de 1866, subordinado ao município de Cabaceiras. Pela lei estadual nº 2078, de 30 de abril de 1959, o distrito de Bodocongó passou a pertencer ao novo município de Carnoió. Cornoió viria a ser chamado de Boqueirão em 1961. Barra de Santana foi Elevada à categoria de município com esta denominação pela lei estadual nº 5925, de 29 de abril de 1994, desmembrado de Boqueirão, e instalado em 1 de janeiro de 1997.

Geografia do Município

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2009 sua população era estimada em 8.909 habitantes, distribuida quase totalmente na zona rural do município, que além do distrito sede, possui distritos e vilarejos de renomada importância, se considerada a dimensão do município. São eles: Mororó, Santana, Vereda Grande,Caboclos e Barriguda. Área territorial de 369 km². O distrito sede localiza-se as margens do Rio Paraíba, mais precisamente no encontro de seu afluente Riacho de Bodocongó.

 

Área 369,290 km²

População 8 205 hab. IBGE/2010]

Densidade 22,22 hab./km²

Altitude 350 m

Clima semiárido

Fuso horário UTC−3

Economia

Por ser um município tipicamente rural, sua economia centra-se na criação de caprinos e bovinos (principalmente para produção de leite).

Como o clima do município é caracterizado por chuvas irregulares, a cultura do milho e feijão (tradicionalmente cultivados no cariri paraibano)pode ser considerada de pouca relevância comercial, mas ainda muito utilizada para consumo familiar.

 

IGREJA CONGREGACIONAL NO BESSA

Rua Cândida Nóbrega Ferreira, S.N. - Bessa - João Pessoa/PB
Fone: (83) 3021-2172